Categoria: Sem categoria

Dança para Camille (2018)

Em cena, a performatividade do feminino. Força, delicadeza, instinto, memória. *DANÇA PARA CAMILLE, parte de um dueto que compõe o trabalho Corpos Frágeis (2010) e que, há algum tempo, Vanessa Macedo nutria o desejo de transformá-lo num trabalho independente para ser dançado por duas mulheres. Durante o seu processo criativo, em 2018, a vida e... Ler Mais »

Eu Outro (2017)

Investigando o que vem chamando de Dança Depoimento, a Cia Fragmento de Dança invade, expõe e divide ambientes íntimos, não somente para falar de si, mas para tornar-se o outro. Foram vários procedimentos, todos com o intuito de perceber como a arte e vida dizem uma sobre a outra e como memórias que nos constituem... Ler Mais »

Porque Somos Mutantes (2016)

O espetáculo tem como ponto de partida a obra do escultor Jason Taylor, que cria esculturas e as submerge no mar, formando uma espécie de museu submarino que a natureza se encarrega de modificar, dia após dia. Em “Porque Somos Mutantes”, a Cia Fragmento de Dança busca por um corpo atravessado pela angústia e aceitação... Ler Mais »

Um Corpo Só (2015)

Ficção autobiográfica. Dança depoimento. Espaço de memórias. Na retomada de experiências significativas constituídas no corpo, passado e presente se fundem, num elo de negação, afeto e dor. Vanessa Macedo experimenta, de um novo jeito, a relação com os rigores da ginástica rítmica, a paixão pelo teatro, as aulas de piano. Isso tudo se mistura à dança... Ler Mais »

Aos Vencedores as Batatas (2014)

Em tempos em que é comum falar de si mesmo em processos artísticos, como as subjetividades podem olhar de uma forma crítica para o mundo? Aqui a tarefa era construir solos, cada qual com uma temática própria, partindo de um entendimento individual sobre a palavra “ruptura”. Os intérpretes trouxeram os seus assuntos e a coreografia... Ler Mais »

Sem Título (2013)

É o primeiro resultado cênico de um processo focado na investigação dramatúrgica em dança, realizado pela Cia Fragmento. Três artistas foram convidados para, a partir de uma mesma coreografia, criada por Vanessa Macedo, comporem uma encenação própria. A proposta é discutir o quanto as escolhas individuais dos artistas envolvidos, e o próprio fato de serem... Ler Mais »

Nuvens Insetos (2012)

Inspirado nos afetos que provocam uma “última carta”. Cartas de ruptura. Cartas de despedida. Cartas suicidas. Em 2011, os passantes do Centro Cultural São Paulo foram abordados a partir da seguinte pergunta: “O que você escreveria se fosse sua última carta?”. Em 2016, a pergunta foi refeita, dessa vez, na praça da Sé. Mais de... Ler Mais »

Ecos (2011)

Ecos é uma encenação de estrutura móvel que revisita trechos de outras criações da Cia Fragmento de Dança, propondo uma nova composição. Observa as reverberações que um espetáculo causou no outro, e suas identificações estéticas e dramatúrgicas. Ecos trata da relação que se tem com a própria imagem, evidenciada desde que a Cia. pesquisou a... Ler Mais »

Corpos Frágeis (2010)

Coloca em cena a poética do feminino enquanto potência sensível. A pesquisa partiu do livro “Corpos Frágeis, Mulheres Poderosas” de Maria Martoccia e Javiera Gutierrez, que reúne a vida e obra de nove mulheres, dentre as quais destacamos Frida Kahlo e Virginia Woolf.  Em comum entre elas está o fato de terem sido figuras expoentes... Ler Mais »

Anjos Negros (2010)

"O ponto de partida dessa pesquisa foi a vida e obra de Virginia Woolf. O que moveu a Cia foi a possibilidade de refletir sobre formas de se expressar no mundo atual, num contexto que exige que ele seja diferente, criativo, singular e, ao mesmo tempo, impõe padrões sociais para que  seja aceito. O espetáculo discute... Ler Mais »